quarta-feira, junho 08, 2005

Camões Para a Minha Apache e Dela Para Mim Também

A minha capacidade de trabalho diminuiu em cerca de 20 por cento.
A Minha Apache só quer saber da sua Mãe, diz que não quer casar com mais Ninguém.
Mas já percebeu que Sem Mim não vai ter Tranquilidade ou Reposo, não vai ter Beleza na Vida. Ela sabe que de Mim precisa para Trabalhar para Existir.
Solto-a definitivamente da minha gaiola e ela solta-me da sua. Deixamo-nos uma à outra umas linhas cantadas por Camões:

QUE CIDADE TÃO FORTE PORVENTURA
HAVERÁ QUE RESISTA, SE LISBOA
NÃO PODE RESISTIR À FORÇA DURA DA GENTE CUJA FAMA TANTO VOA?
JÁ LHE OBEDECE TODA A ESTREMADURA
ÓBIDOS, ALANQUER, POR ONDE SOA
O TOM DAS FRESCAS ÁGUAS ENTRE AS PEDRAS
QUE MURMURANDO LAVA, E TORRES VEDRAS.

From Lusíadas

1 Comments:

Anonymous catarina said...

10 de JUNHO

Hoje é dia de CAMÕES

6/09/2005 11:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home