quarta-feira, agosto 24, 2005

As Férias

Faltam 6 dias para uma outra semana de descanso. A liberdade é total. Fazer girar o mundo e apontar ao calhas. Viajar para um novo planeta com o Amor da minha vida. Sou apenas mais uma.
Com este Amor que eu cá sei vou pegar no carro ideal e fazer o giro de Itália, vou pegar num cachimbo e ao colo do amor adormecer numa duna marroquina. O meu Amor vai fazer-me festas na cabeça e dizer-me coisas bonitas antes de seguirmos para um momento idílico em Lisboa. Na capital vai chover e fazer sol ao sabor das nossas conversas. Havemos de estar na praia a fixarmo-nos olhos nos olhos e a falar daquele conto do Pessoa em que o Fernando nos conta A Hora do Diabo. Depois voltamos ao beijo do costume e o tempo desse beijo dura para sempre.

terça-feira, agosto 09, 2005

Portugal a Chover


.... O mais triste é que o efeito do fumo tem a sua beleza. Agora o tempo está menos quente e os portugueses vão poder descansar um bocado...só não se podem distrair mais.

segunda-feira, agosto 08, 2005

A denúncia

Entre os prisioneiros das cadeias, o ladrão é aquele que revela pior carácter sobretudo se fôr um ladrão pidesco. A todos os ladrões, perdoai-lhes senhor que eles não sabem o que fazem.
Agora tudo ao trabalho para pagar as contas ao fim do mês. Boa tarde e Obrigada.

quinta-feira, agosto 04, 2005

AS NAMORADAS III

Passemos agora ao terceiro exercício de imaginação.
Dentro da banheira senhorial envoltos num banho de espuma como outro qualquer. Continuamos a olhar para o quadro impressionista com as duas namoradas. Estamos enlevados até que o enlevo é interrompido por uma notícia de última hora num canal de televisão. Caiu uma falésia em Peniche, há dois mortos e pessoas soterradas. Acordamos lentamente do adormecimento da pintura, lembramos os amigos de Peniche, temos um momento de preocupação, levantamo-nos bruscamente da banheira mas eis que surge de novo o quadro com as duas felizes namoradas entristecidas pelo tempo com uma terceira mulher que as observa atrás de uma árvore. Aproximamo-nos muito devagar da obra do desconhecido, observamos em pormenor o mármore da parede da casa de banho, voltamos a atirarmo-nos quase de cabeça para a água rosada da banheira e finalmente sentimos o Absoluto.

AS NAMORADAS II

Imginem agora o que seria estas duas namoradas estarem tristes de costas voltadas uma para a outra. O rosto delas seria feito de dor. De repente o quadro parece esmorecer e uma delas nem é tão bonita como parecia à primeira vista, ao primeiro relance do nosso olhar. A outra talvez esteja resplandecente mas apenas porque as lágrimas só lhe caem por dentro e a pele lhe foi poupada por um sorriso mentiroso.
Vendo o quadro com mais atenção reparamos numa terceira mulher. Imaginem três elementos femininos num só quadro mas não as imaginem nuas porque elas estão vestidas, Há um sentimento de aflição e de conforto, tudo ao mesmo tempo.Experimentem este exercicio de imaginação e terão um minuto de Amor mas cuidado que será de paixão se as imaginarmos sem roupa.

terça-feira, agosto 02, 2005

AS NAMORADAS

Imaginem um quadro impressionista com duas namoradas. Haverá alguma coisa mais bonita do que um quadro impressionista com duas namoradas...
Duas raparigas bonitas sob uma Impressão do Sol Nascente, duas mulheres ligeiramente enrugadas que mantêm os traços soberanos de quem ama e é amada.
Imaginem o prazer e a satisfação de possuir esse quadro e pendurá-lo na parede em frente de uma banheira senhorial. Não tentem imaginar possuir as próprias mulheres do quadro porque elas não querem ser possuídas, elas só se querem uma à outra. Se conseguirem este exercício de imaginação terão um minuto de puro Amor.